Roteiro em Brasília para entender o Jornal Nacional

ima_brasiliaNão é legal quando a gente chega em uma cidade e já reconhece alguns pontos porque viu em filmes ou novelas? Ou quando a gente assiste a um filme que se passa em um cenário onde a gente já esteve?

Você terá a mesma sensação aqui em Brasília, depois de ver os monumentos tantas vezes no Jornal Nacional. Mesmo que as notícias não sejam muito boas, é bem legal visitar esses lugares tão famosos, e poder entender um pouco do que se passa lá dentro.

Mas se você tá tão desiludido com a política que não quer nem ouvir falar disso, te dou outro motivo: são quase todos obras de Oscar Niemeyer, nosso gênio da arquitetura. Por isso valem muito a visita! Vamos ao roteiro.

 

Roteiro em Brasília

 

Os prédios do roteiro são relativamente próximos uns dos outros (exceto as residências oficiais), mas é longe pra ir a pé. Então uma ótima ideia é pegar uma bicicleta do Bike Brasília, a uma taxa de 10 reais ao ano, e sair pedalando. Veja as instruções nesse vídeo.

BACENDe bike, comece com o assunto que domina os noticiários atualmente: economia! É o Banco Central que decide a famosa taxa de juros da nossa economia, nas famosas reuniões do Copom, e tenta segurar um pouco o dólar pra ele não cair ou subir de uma vez. Mas não é daqui que sai nosso dinheirinho! É lá da Casa da Moeda, no Rio de Janeiro, um departamento do Banco Central.

O prédio do Banco Central não é uma obra do Niemeyer mas é muito imponente, pois é muito mais alto que os demais daqui de Brasília. Tem dois motivos para a visita: o Museu de Valores, que conta a história do nosso dinheiro, e a Galeria de Arte. Eles ficam aberto de terça a sexta, consulte o detalhes no site do Museu.

Leia também: Os Museus de Arte de Brasília

Saindo do Banco, pegue a bike e siga para a Esplanada dos Ministérios, aproveitando a descida.

Ministérios com carros

Esplanada dos Ministérios e carros, muitos carros…

Na Esplanada dos Ministérios ficam as sedes dos muitos ministérios do Governo Federal: da Saúde, das Cidades, etc. Como tem mais ministro que prédio na Esplanada, alguns deles abrigam a sede de mais de um ministério.

Os prédios dos ministérios foram desenhados pelo Niemeyer e são iguais, exceto pelos dois últimos: o Palácio da Justiça, que abriga o Ministério da Justiça (chefe da Polícia Federal), e o Palácio Itamaraty, o Ministério das Relações Exteriores. Os dois ficam um em frente ao outro, e são os mais próximos da Praça dos Três Poderes.

O Palácio da Justiça tem uma fachada muito bonita, com cascatas, que você pode ver ligadas se tiver sorte. Ele está aberto de segunda a sexta, consulte os horários no site.

Palácio da Justiça. Crédito: Vivian Rosa – flickr.com/VivianRosa

O Palácio Itamaraty é a sede do Ministério das Relações Exteriores. Este ministério é o responsável pela relação do Brasil com os outros países (eles que atuaram naquele caso do brasileiro que foi executado na Indonésia, por exemplo). É pra eles que você tem que ligar caso perca seu passaporte no exterior.

Itamaraty

Palácio Itamaraty. A escultura em frente, Meteoro, é o logotipo do ministério.

Apesar de ser a sede do Ministério, ninguém trabalha no Palácio Itamaraty. O prédio é usado para recepções oficiais, especialmente quando algum chefe de Estado resolve passear por aqui. Por isso é tão chique! No térreo tem a famosa escada, e um dos maiores vãos livres do mundo. No andar superior há várias obras de arte, e um jardim lindo.

Escada do Itamaraty

A linda escada do Itamaraty

Lá tem visita guiada todo dia, dá uma olhada no site deles para os detalhes.

Agora desça a ladeira até a entrada do Congresso Nacional, se for fazer a visita guiada.

Congresso

A entrada do Congresso Nacional para as visitas guiadas.

O símbolo da capital do país é a sede do Poder Legislativo, onde “trabalham” os deputados federais e os senadores. O Brasil tem uma estrutura bicameral, sendo composto pela Câmara dos Deputadores e pelo Senado Federal. Tudo que a Câmara decide, o Senado tem que confirmar, e vice versa.

A visita é bem interessante: você tem a oportunidade de conhecer o plenário da Câmara dos Deputados, que fica na cúpula virada pra cima, e o plenário do Senado, o da cúpula virada pra baixo, além do salão verde e do corredor entre os prédios, onde os repórteres ficam correndo atrás dos políticos para conseguir as entrevistas.

O Congresso tem visita guiada todos os dias! Veja os detalhes no site.

Siga agora para a Praça dos Três Poderes. Por que esse nome? Porque é lá que ficam as sedes dos três poderes da República: Executivo, Legislativo e Judiciário, conforme o projeto de Lucio Costa.

Praça dos 3 poderes

A Praça dos Três Poderes, com a bandeira e o Panteão da Pátria.

Já visitamos o Congresso Nacional, sede do Poder Legislativo, agora faltam as duas outras.

A sede do Poder Executivo é o Palácio do Planalto, onde o Presidente da República trabalha. Aquela rampa famosa, que ele sobe no dia da posse, fica bem na frente e é guardada pelos Dragões da Independência, o nome pomposo da guarda presidencial. O púlpito da passagem da faixa fica logo ao lado.

Palácio do Planalto

Palácio do Planalto

Só dá pra visitar no domingo (até entrar no gabinete presidencial!), tem os detalhes no site.

Do outro lado da Praça fica a sede do Poder Judiciário, o Supremo Tribunal Federal, onde aconteceram aqueles famosos julgamentos do mensalão.

STF visão externa

O Supremo Tribunal Federal visto da Praça dos Três Poderes

Na visita você pode conhecer o tão famoso Plenário.

STF Plenário

O Plenário do STF, que está sempre no JN

Também só tem visita no domingo, tem os detalhes no site.

Já que você está na Praça, dê uma olhada na maquete de Brasília e no Panteão da Pátria, apesar de não aparecerem no jornal são bem interessantes.

Saindo da Praça, seguimos agora para o Setor de Administração Federal Sul, que fica atrás do Supremo Tribunal Federal. Lá temos a sede de dois órgãos que correm atrás dos corruptos: o Tribunal de Contas da União e a Procuradoria Geral da República.

O Tribunal de Contas da União é responsável por fiscalizar o dinheiro do governo federal, se o pessoal tá gastando direitinho. No começo do ano só se falou de TCU e das tais pedaladas fiscais que eles detectaram nas contas do governo federal.

tcu

Tribunal de Contas da União. Fonte: divulgação

A sede do TCU não é obra do Niemeyer, talvez por isso o prédio seja meio feioso. Apenas seus anexos (os prédios por trás) foram projetados pelo arquiteto.

O interior também não tem nada demais arquitetonicamente falando, mas na visita guiada você aprende sobre o funcionamento do Tribunal. Mais detalhes da visita no site do TCU.

Logo atrás do TCU, a Procuradoria Geral da República é a sede do Ministério Público Federal. São eles que denunciam os políticos que são julgados no STF, e por isso o pessoal ali da Praça dos Três Poderes ficam sempre um pouco tensos com esses vizinhos. 🙂

PGR

O prédio super massa da Procuradoria Geral da República.

E o prédio é sensacional, parece que está flutuando! E eles são redondos, muito louco. Não dá pra visitar o interior, mas super vale a pena passar lá pra ver essa obra prima do Niemeyer.

Volte um pouquinho, até os Tribunais Superiores. Na mesma praça estão o Superior Tribunal de Justiça, a instância máxima da justiça comum, responsável por julgar crimes de governadores;

stj

Superior Tribunal de Justiça

o Tribunal Superior do Trabalho, a instância máxima da justiça do trabalho, que também entra em cena pra resolver greves e acordos de trabalho com sindicatos nacionais;

tst

Tribunal Superior do Trabalho. Fonte: divulgação

e o Tribunal Superior Eleitoral, responsável por organizar as eleições e julgar as falcatruas que os candidatos aprontam.

tse

Tribunal Superior Eleitoral. Fonte: divulgação

Os três prédios também são belas obras do Niemeyer. O TST e o TSE seguem o estilo das obras dele: as curvas, as cúpulas, o vidro, o concreto. Já o STJ tem um estilo um pouco diferente e por isso é o meu preferido: o concreto ainda está lá, mas o verde também participa, com jardins, palmeiras, ipês. Menos monumental, mais aconchegante.

Os três podem ser visitados durante a semana, mas não espere muito… Mais informações, nos sites: Superior Tribunal de Justiça, Tribunal Superior do TrabalhoTribunal Superior Eleitoral.

Depois de explorar o centro do Poder, siga para os últimos palácios se estiver de carro.

O Palácio da Alvorada é a residência do Presidente da República. É lá que a Dilma mora atualmente e, ás vezes, os ministros correm pra lá pra alguma reunião importante.

Palacio da Alvorada

Ele tem um gramadão enorme na frente, então o legal mesmo é fazer a visita guiada. O problema é que, pra não atrapalhar os moradores, as visitas são apenas quartas a tarde. Tem que se programar, mas vale muito a pena. Mais detalhes no site deles.

Além de ver o Palácio por dentro, os jardins, o quintal, tem a linda capela dourada por dentro.

capela palacio alvorada interior palacio alvorada

A capela e o interior do Palácio da Alvorada.


A visita do Palácio da Alvorada inclui também o vizinho Palácio do Jaburu, a residência oficial do vice presidente, atualmente o Michel Temer. Foi lá que ele deve ter escrito sua famosa cartinha 😀

 

palacio_jaburu

Palácio do Jaburu, a casinha do Vice Presidente.

Esse palácio é surpreendente: muito diferente dos outros, é uma casa baixa, com grandes janelas, no estilo de uma casa de campo. Ao sair pela varanda dos fundos, a vista do lago é deslumbrante. É uma obra do Niemeyer muito diferente das outras, mas tão impactante quanto.

palacio_jaburu_fundos

O quintal maravilhoso do Palácio do Jaburu.

Ainda faltou muito órgão que é notícia: Anvisa, Aneel, Serpro, Anatel. Mas são todos prédios normais, que não valem a visita.

Não esqueça de voltar à Esplanada e à Praça dos Três Poderes a noite! Os prédios ficam lindos iluminados. Só não rola fazer de bike, pela segurança.

Congresso a noite

Esse roteiro dá pra ser feito em poucas horas, se você não for entrar em nenhum prédio, ou em um dia, se for entrar em um ou dois. Para visitar todos, você teria que fazer um roteiro de domingo, quando o Palácio do Planalto está aberto, até quarta, quando abre o Alvorada, e ir encaixando os demais.

E domingo a quarta não é tempo demais em Brasília! Além do turismo cívico, Brasília tem muito mais. Já contei sobre os nossos museus de arte, mas também tem muitos outros pontos de arquitetura incrível, as flores dos ipês, o lago, o por do sol. Vem pra Brasília!

E tem mais blogueiro falando sobre a sua cidade em posts super legais ! Dá uma olhada nos outros posts da blogagem coletiva #minhacidade.

 

Blogs Participantes #MinhaCidade

 


Siga o Colecionando Ímas no Instagram: @colecionandoimas

Siga a Camila no Twitter: @camilarrt

Siga o Guilherme no Flickrflickr.com/photos/guilhermemtorres/

Curta a nossa fanpage no Facebookfacebook.com/colecionandoimas


32 comentários sobre “Roteiro em Brasília para entender o Jornal Nacional

  1. Camila

    Primeiro… é o melhor título da BC! Como entender o Bonner com um post =)

    E já fiz algumas das visitas guiadas de Brasília e adorei! Dá pra se sentir um pouco mais por dentro de como tudo funciona (ou deveria funcionar, cof cof)

  2. Aline Dota

    AMEI o título pra começar mas sua aula pra entender o Jornal Nacional foi ótima!! Gostei das dicas dos dias tb, assim dá pra se programar e não perder nada!! Ótimo!! Depois vou compartilhar, tenho alguns amigos em Brasília!! Bjooo

  3. Simone Hara

    Adorei o post! (vou confessar aqui baixinho só pra você que é o mais legal de toda a BG).
    Fui em Brasilia duas vezes e adorei como suas explicações reativaram tudo o que vi e vivi nessas duas visitas. Tb pude ver que ainda tenho muito que explorar por ai! Sobrou coisa pra ver!! Bjs!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *