6 vinícolas fora do Vale dos Vinhedos

ima_poa_peq

As vinícolas de Bento Gonçalves não se restringem ao Vale dos Vinhedos, mas estão espalhadas por diversas regiões da cidade.

Leia também: 4 vinícolas no Vale dos Vinhedos

Em um dia chuvoso, visitamos 2 vinícolas no Vale do Rio das Antas e uma na rota das Cantinas Históricas. Também incluí nesta lista as que visitamos fora de Bento Gonçalves mas que ficam lá bem pertinho.

1) Salton

A Salton fica na entrada do Vale do Rio das Antas. É a maior vinícola brasileira, e é bem interessante visitar uma vinícola tão imensa! Contei todos os detalhes em um post só pra ela.

Leia também: Visitando a vinícola Salton em Bento Gonçalves

2) Cainelli

Lojinha da Cainelli

Pertinho da Salton, visitamos também a Cainelli por indicação da Paula, do Mochilinha Gaúcha. Muito diferente da sua vizinha, é uma vinícola pequenininha, bem focada nos turistas e, exatamente por isso, com um ótimo atendimento. Mas os vinhos que degustamos não nos impressionaram tanto.

Eles tem vários passeios e oficinas, mas fizemos apenas a visita simples. Por 5 reais, você degusta alguns rótulos, conhece o galpão de produção deles, e visita um museu no andar superior, que parece que você tá bisbilhotando a casa da nonna italiana. 🙂

Museu da Cainelli. Certeza que na casa da sua avó também tinha esses retratos, né!

Saímos de lá com um Lorena, branco.

3) Dal Pizzol

Lojinha da Dal Pizzol.

Saindo da rota do Rio das Antas, entramos na rota das Cantinas Históricas pra visitar a Dal Pizzol, super recomendada pela Paula também. E foi uma pena que o tempo estava ruim, o lugar tem gramados, jardins e um lago pra você apreciar o vinho curtindo a paisagem.

Visitamos a loja, onde fomos super bem atendidos e degustamos vários rótulos excelentes. Coladinho na loja tem o museu do vinho, com uma coleção de rótulos e instrumentos antigos, interessante.

O Museu do Vinho da Dal Pizzol

Os preços lá são mais altos, por volta de 50 reais. Trouxemos um Ancellotta.

4) Aurora

Na volta do passeio do Vale do Rio das Antas passamos pelo centro de Bento, pra tirar foto do pórtico e da igreja, ambos em forma de barril de vinho! A igreja é bem bonita por dentro também, cheia de vitrais.

A catedral de Bento também é um barrilzão.

Também demos uma paradinha na Vinícola Aurora, que fica no centro da cidade. Não havia mais horário pra visitação, mas as guias nos convidaram pra participar da degustação junto com o último grupo. Uma simpatia, né. A parte da degustação fica embaixo da loja.

(Vamos confessar que a gente só queria participar da degustação mesmo 😀 . Depois da primeira vinícola grande as outras são muito parecidas.)

Não trouxemos nenhum de lá porque eles são bem fáceis de encontrar em Brasília. O suco de uva deles, o Casa de Bento, é maravilhoso!

5) Peterlongo

Visitamos a Peterlongo durante o #Tchencontro e conhecer a saga da família Peterlongo foi inesquecível. Gostei tanto da visita que quis voltar lá com o Gui!

Leia também: Um passeio gaúcho no #Tchêncontro !

Ela fica em Garibaldi, na rota dos espumantes, sua especialidade. A visita custa 10 reais, e a metade se reverte em produtos na loja. Dessa vez, trouxe um creminho pra mão feito de sementes de uva 😀

O mais interessante da visita são as histórias da família Peterlongo, do pioneirismo de seu fundador na construção da sede para produção de champagne até a falência da empresa, que ainda hoje tenta de reerguer. Uma verdadeira novela italiana que vale a pena ver de pertinho!

6) Don Guerino

A Don Guerino fica em Alto Feliz, no caminho pra Gramado. Nossa história com os vinhos da Don Guerino começou em uma pizzaria do Vale dos Vinhedos. Contamos tudo em um post!

Leia também: Don Guerino: a vinícola depois da pizza

Conclusões pra você montar seu roteiro

São muitas vinícolas por lá, e vale a pena conhecer cada uma ! Não precisa fazer a visita guiada em todas, porque o processo de produção é o mesmo e vai ficando cansativo ouvir a mesma explicação várias vezes. As vinícolas pequenas sabem disso e não prolongam muito a “parte técnica”, mas entre as grandes basta escolher uma.

Mas dá pra se infiltrar nas degustações, porque dessas a gente não enjoa, né! São muitos rótulos maravilhosos, que nos deixa com vontade de voltar a cada rolha. Vai lá pra Bento brindar também!

Veja tudo sobre o Rio Grande do Sul no Colecionando Ímãs


Faça suas reservas com nossos parceiros pelos links abaixo
e deixe uma comissão pra gente!

    sleeping-bed-silhouette Escolha seu hotel no melhor site de reservas: Booking.com
    medicine-briefcase-1 Viaje tranquilo com um seguro de saúde: Mondial Assistance
    american-dollar-symbol-1 Peça dólares e euros que eles entregam em casa: Cotação
    sports-car-1 Alugue o carro pra sua road trip: Rent Cars
    park-tickets-couple-1 Compre os ingressos pras melhores atrações: TicketBar

19 comentários sobre “6 vinícolas fora do Vale dos Vinhedos

  1. Analuiza (Espiando Pelo Mundo)

    oi Camila… que delícia conhecer novos rótulos de vinho! Eu particularmente gosto muito. Estive nessa região muitos anos atrás e visitei uma única vinícola, cujo nome não me recordo, mas lembro que fomos muito bem recebidos em uma pequena lojinha, estilo rústico e pudemos ver as parreiras.

    De lá para cá imagino que muita coisa tenha mudado, pois na época o brasileiro nem consumia tanto vinho como hoje.

    Gostei especialmente do museu da Cainelli que você indica no texto. 🙂 bj

  2. Ruthia Portelinha

    O Museu de Cainelli parece uma casa congelada no tempo. Muito vintage.
    Com os preços dos vinhos sempre flutuantes, é natural que as vinícolas procurem novas fontes de rendimento. O turismo enólogo está a crescer muito na Europa, pelo visto por aí também.
    Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *